quinta-feira, 1 de abril de 2010

Seis horas de uma sexta-feira

Em breve postarei parte de em estudo desse livro . Como sempre , o autor Max Lucado nos supreende com sua maneira de abordar temas bíblicos  e trazer à nossa realidade de maneira brilhante . Sou suspeita pra dizer , pois sempre que posso leio os seus livros . Segue um trecho do livro ... Já dá pra ter uma idéia.



"Verdadeiramente este era o Filho de Deus!" Mateus 27:54
Para um espectador casual, as seis horas são mundanas...Deus está em uma cruz. O criador do universo está sendo executado.Saliva e sangue estão misturados em sua face, e seus lábios estão rachados e inchados. Espinhos rasgam seu couro cabeludo. Seus pulmões gritam de dor. Suas pernas dão nó com cãibras. Os nervos esticados ameaçam romper enquanto a dor ressoa sua mórbida melodia. Ainda assim, a morte não está à mão. E não há ninguém para salvá-lo, porque ele está sacrificando-se.Não são seis horas comuns... não é uma sexta-feira comum.Deixe-me fazer uma pergunta a você: o que você faz com este dia da história? O que você faz com sua reivindicação?Se isso realmente aconteceu... se Deus realmente requisitou sua própria crucificação... se ele realmente virou suas costas para seu próprio filho... essas seis horas não foram seis horas comuns. Elas foram as horas mais críticas da história.

por Max Lucado

Traduzido por Cynthia Rosa de Andrade Marques Almeida

Texto original extraído do site http://www.maxlucado.com/

0 comentários: